Matéria publicada em 08/04/2018 às 11:36:05

Visitas: 598

CRUELDADE -Marido mantinha esposa e filha de 07 anos reféns dentro da própria casa, em Ji-Paraná

Neste sábado (07), no bairro Val Paraíso, a Polícia Militar atendeu uma ocorrência que acabou abalando o emocional até mesmo dos mais fortes. Um homem de 31 anos de idade mantinha reféns, por vários dias, sua esposa e filha de apenas 07 anos de idade. Sob espancamentos e ameaças de morte, as vítimas eram obrigadas a permanecer o tempo todo dentro de um quarto e não podiam sair nem para fazer as necessidades fisiológicas.

 

De acordo com o CB PM Rudiguello, comandante da Guarnição de Rádio Patrulha que atendeu a ocorrência, em mais de 15 anos atuando em Ji-Paraná, nunca viu tanta crueldade por parte de um pai de família. Muito emocionado, o militar contou que, por volta das 10h00, a Central de Operações da PM (190), recebeu uma ligação de uma solicitante informando que uma mulher e uma criança estavam sendo mantidas reféns, trancadas dentro da própria casa pelo marido e que todas tentativas de contato com as vítimas eram impedidas pelo homem.  

 

Mediante a gravidade da denúncia, a Guarnição foi até a casa e após alguns minutos chamando o suspeito, que estava com a casa trancada, conseguiu o contato. Ao ver os policiais, Romildo dos Santos Damasceno, começou a ficar nervoso e durante a entrevista acabou admitindo que sua esposa e filha estavam trancadas dentro de um quarto.

 

Os PM’s foram até este quarto e ao abrirem a porta, se depararam com a criança enrolada em um cobertor, suando muito e esboçando uma aparência de medo. “Quando entramos no quarto, sentimos um odor muito forte de urina e logo observamos que havia um pote no chão, cheiro de urina. Com muito medo, a criança confessou que era proibida de sair do quarto até mesmo para fazer suas necessidades fisiológicas”, contou o Cabo Rudiguello.

 

Continuando com as buscas, os policiais acabaram encontrando a outra vítima, uma mulher de 29 anos. Ela também estava trancada no quarto e relatou os abusos que vinha sofrendo pelo marido.

 

Segundo a mulher, era agredida constantemente pelo marido por qualquer motivo. Recentemente havia levado uma surra por uma discordância de afazeres domésticos. A vítima também contou que a filha do casal também apanhava muito por qualquer coisa, deixando marcas pelo corpo da criança. “Ele me batia por qualquer coisa e me proibia de falar com qualquer pessoa. Ele sempre ameaça de matar a gente (mãe e filha), caso eu falasse com alguém sobre o que estava acontecendo”, disse a mãe.

 

Romildo não quis falar com a imprensa e permaneceu em silêncio o tempo todo.

 

Diante da situação, Romildo dos Santos Damasceno, recebeu voz de prisão e foi conduzido para a UNISP. As vítimas foram liberadas do cárcere e conduzidas para o HM.

 

O Delegado plantonista que recebeu a ocorrência, Dr. Rildo Maciel, ouviu todas as partes e lavrou o auto de prisão em flagrante em desfavor de Romildo pelo crime de “Cárcere Privado Qualificado”, pelo cárcere ter ultrapassado os 15 dias. Se condenado, a pena de reclusão é de 08 anos.

 

 

 

Matéria:www.comando190.com.br

 

Comente Pelo Facebook

©Copyright 2016 - Todos direitos reservados a
Rotacomando.com.br